Pesquisar:    
  NOTICIAS
Matéria inserida em: 05/02/2016

Presidente da Petrobras diz que alta no preço dos combustíveis não é causada pela empresa

Segundo Pedro Parente, custos da Petrobras representam um terço do valor cobrado do consumidor. Ele voltou a defender a política de reajuste de preços quase diário.

Por Laís Lis, G1, Brasília

O presidente da Petrobras, Pedro Parente, afirmou nesta segunda-feira (5) que a Petrobras não é a responsável pelas seguidas altas no preço da gasolina verificadas no país. Segundo Parente, o preço do combustível que sai da refinaria, o vendido pela Petrobras, representa apenas um terço do total pago pelo consumidor.

O restante do custo refere-se a impostos (Cide, PIS/Pasep, Cofins, ICMS), gasto da adição de etanol na gasolina e custos com a distribuição e revenda, que também engloba o lucro do posto de gasolina.

Na sexta-feira (2), a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) informou que o preço médio da gasolina para o consumidor final subiu pela 14ª semana seguida.

A partir de julho de 2017, a Petrobras adotou a política de reajustes quase diários do preço do combustível para acompanhar a cotação do mercado internacional.

“O preço que a Petrobras cobra na refinaria é, em média, um terço do preço cobrado do consumidor, então o problema certamente não está no um terço. O um terço é minoria no valor total. Certamente, eu diria que o problema não é a Petrobras”, disse Parente, ao ser questionado sobre as reclamações sobre as constantes alterações no preço da gasolina.

Parente voltou a defender a política de reajuste adotada pela Petrobras e afirmou que, como gestor, ele não poderia fazer de uma forma diferente.

“Não é uma possibilidade nossa, de um ato de voluntarismo, dizer: apesar de o mercado mundial dizer que o preço é esse, eu vou fazer um preço diferente. Não podemos fazer isso. Isso é uma questão de responsabilidade nossa como administradores da empresa”, afirmou.

Conselho de administração

Parente reuniu-se nesta manhã com o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho. Segundo o presidente da Petrobras, o assunto foi a assembleia que elegerá o novo Conselho de Administração da Petrobras. Segundo ele, a maior parte dos integrantes deve ser reeleita.

“Deve haver poucas modificações, se houver, mas deve haver. Isso é um assunto que não está concluído ainda. O que se espera é uma renovação majoritária [dos mandatos] do atual conselho”, afirmou.

A assembleia que elegerá os novos integrantes do Conselho de Administração da Petrobras ocorrerá em abril.



FETRANSCARGA - FEDERAÇÃO DO TRANSPORTE DE CARGAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
Todos os Direitos Reservados © 2018 - Todo conteúdo deste site é de uso exclusivo da FETRANSCARGA